Como lidar com o luto no suicídio

Como lidar com o luto no suicídio

A perda do ente querido desperta sentimentos ambivalentes de amor e raiva, mas quando relacionado com o suicídio, a perda pode causar perplexidade e alguns outros sentimentos podem surgir, como a culpa.

Foto de Tom Pumford via Unsplash

Diferente de outros lutos, o suicídio de um familiar ou amigo causa algumas problemáticas que precisam ser observadas, pois segundo a Associação Internacional de Prevenção ao Suicidio, cada morte por suicídio afeta outras 135 pessoas, que ficam psicologicamente abaladas e traumatizadas. Além disso, há uma vulnerabilidade no fato de que parentes e pessoas próximas de suicidas têm risco até dez vezes maior do que o restante da população de, futuramente, tentarem tirar a própria vida.

O choque com a notícia da perda e o motivo causam uma variedade de perguntas entre as pessoas próximas. Por que isso aconteceu? Por que ele não me procurou pedindo ajuda? Por que eu não reparei nada?, dentre outras, são questionamentos complexo de serem respondidos e que, infelizmente, não irão amenizar a dor do luto. É de extrema importância que os familiares e amigos compreendam que o suicídio envolve muitos fatores e não há uma pessoa culpada por não ter evitado ou reparado no que estava acontecendo.

O suicídio é considerado um tabu em nossa sociedade assim como para algumas religiões e, por isso, há uma dificuldade de pessoas em luto nessa situação conseguirem conversar sobre com outras pessoas. E o inverso também, por se tratar de um assunto complexo, muitos não sabem como abordar o enlutado e acreditam que evitando o assunto estarão ajudando.

Foto de Gus Moretta via Unsplash

Por esses motivos, o acompanhamento profissional é o ideal para que o enlutado lide com o processo do luto e consiga seguir a vida sem traumas e ressentimentos. É necessário compartilhar a dor, externizar todos os pensamentos que surgem sobre a situação e um psicólogo e psiquiatra são profissionais preparados para ajudar uma pessoa em luto no suicídio. Sem julgamentos e com empatia.

O tratamento adequado com profissionais irá auxiliar os familiares e amigos do suicida, observando possíveis traumas decorrentes da situação e que poderão ser felizes novamente.

O suicídio é como um tsunami, que destrói tudo, mas há uma reconstrução de vida nos que ficaram. Haverá um antes e depois, mas é possível ser feliz.

CVV – Centro de Valorização a Vida é uma ong que dá suporte para pessoas com pensamentos suicidas. Você pode buscar ajuda entrando em contato através do telefone 188 ou 141 (estados de BA, MA, PA e PR) ou acessando o site. O atendimento é gratuito e anônimo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *