Minha Metade da Laranja

Minha Metade da Laranja

“Ele é minha metade da laranja”. Já ouviu essa expressão? Quando alguém se encontra com a famosa alma gêmea, podemos dizer que encontrou sua metade da laranja. Mas, porque laranja? Não havia outra fruta disponível? Após procurar a expressão em várias fontes, nos deparamos com várias surpresas que queremos compartilhar com vocês.

 

Primeiro queremos deixar claro que a expressão certa é “metade de maçã”. Quem deu sentido a este jogo de palavras foi o filósofo Platão, na obra O Banquete. Aqui é apresentado um mito interessante e cheio da imaginação própria dos gregos. Diz-se que antigamente a terra era habitada por seres de três gêneros: os homens, filhos do sol, que tinham uma aparência diferente às dos homens hoje em dia, pois tinham duas cabeças, quatro braços e quatro pernas. Também estavam as mulheres, filhas da terra, com duas cabeças, quatro braços e quatro pernas. E finalmente estavam os andróginos, filhos da lua, com uma cabeça e corpo de mulher, mais uma cabeça e corpo de homem. Um belo dia, o deus Zeus cansou-se da arrogância destes seres e decidiu puni-los. Para isto enviou um poderoso raio que dividiu cada ser em dois, e desta maneira os homens, as mulheres e os andróginos ficaram incompletos e saíram pelas ruas procurando desesperadamente achar sua metade de maçã.

 

O Banquete explica assim aquela necessidade que os humanos sentimos em procurar nossa metade de maçã, aquela sensação de vazio, de carência que em ocasiões envolve a alguns em momentos de tristeza e depressão. Mas, é preciso nos sentirmos assim enquanto não dividimos nossas vidas com outra pessoa? Atualmente, devido aos filmes de Hollywood, às novelas e os seriados bonitinhos, estamos sendo levados a crer que para encontrar o amor devemos olhar para fora, mas não se contempla a possibilidade de encontrar o amor olhando para dentro. É possível? Sim! O amor está em você, o amor é você. Sua metade de maçã, laranja ou qualquer outra fruta é você, única e exclusivamente você. Deixe o Platão e suas mitologias gregas nos livros de fantasias; no mundo “real”, você precisa se conhecer, se entender e se amar. É assim que o amor nasce, de dentro para fora.

Quando você entende quem você é, e vê seu potencial passa a oferecer ao mundo sua melhor versão. E quando você se ame de verdade, outros o amarão também.

 

Que tal começar a se amar mais hoje?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *