Suicídio: precisamos falar sobre isso

Suicídio: precisamos falar sobre isso

Jamais acredite nesta frase: “Quem quer se matar, se mata, não fica ameaçando. Isso ai é coisa de quem quer chamar atenção”.

Setembro é o mês de combate e prevenção do suicídio, o Setembro Amarelo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 800 mil pessoas anualmente interrompem a própria vida. E esses números devem ser ainda maiores, pois óbitos comprovados por suicídio nem sempre são fáceis de serem confirmados.

Diante de um assunto tão sério, é imprescindível que o tema seja discutido e que todos sintam-se confortáveis para pedir ajuda em uma situação dessas.

Durante todo o mês, serão abordados alguns pontos importantes sobre o suicídio, apresentando diferentes faces desse transtorno.

Lembrando que todo caso suicida deve ser diagnosticado e tratado por profissionais, com acompanhado de psicólogos e psiquiatras para o controle e tratamento de pessoas com potencial suicida.

 

mitos e verdade sobre suicidio

Foto de Cristian Newman via Unsplash

Alguns mitos e suas verdades sobre suicídio:

MITO: Quem planeja se matar está determinado a morrer.

A pessoa muitas vezes não deseja a morte, mas busca uma forma de resolver uma situação que estão vivendo e não tem esperança e/ou vê saída para o problema.

MITO: Quem fala sobre suicídio não tem a intenção de cometê-lo.

Pessoas que falam sobre suicídio estão procurando ajuda ou suporte.

MITO: Suicídio é coisa de rico. Pobre não tem tempo para isso.

Não existe distinção de classe social para o desenvolvimento de quaisquer doenças e transtornos. O suicídio pode atingir a todos, independentemente de idade, gênero e posição social.

MITO: A maioria dos suicídios ocorre sem alerta.

Muitos casos de suicídio são precedidos por sinais de alerta verbais ou comportamentais. Não ignore os sinais!

Esteja sempre aberto para dialogar com uma pessoa que precisa de ajuda, sem julgá-la ou repreendê-la, e sempre a oriente para buscar ajuda profissional. Casos de suicídio estão relacionados a transtornos mentais e devem ser acompanhados cautelosamente por psiquiatras e psicólogos.

O CVV – Centro de Valorização a Vida é uma ong que dá suporte para pessoas com pensamentos suicidas. Você pode buscar ajuda entrando em contato através do telefone 188 ou 141 (estados de BA, MA, PA e PR) ou acessando o site. O atendimento é gratuito e anônimo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *